Blog

Suicídio do vocal do Linkin Park só comprova que precisamos debater muito sobre depressão e outros transtornos

O cara era frontman de uma das maiores bandas de rock atualmente (e já há uns 15 anos), tinha seis filhos, vida supostamente ganha e hoje foi encontrado enforcado em sua casa, em Los Angeles.

No mesmo dia em que um de seus melhores amigos faria 53 anos, Chris Cornell, frontman de outra das maiores bandas de rock atuais e dos últimos 20 e tantos anos. Igualmente com filhos (três), igualmente com a vida supostamente ganha.

Só que Cornell se enforcou dois meses antes.

Precisa mais que isso para entendermos que não dá para não falar sobre esses transtornos mentais como ansiedade, depressão, pânico?

Acho que a carta que o vocalista do Linkin Park escreveu para Cornell quando de sua morte referencia o que acabei de escrever.

“Sonhei com os Beatles ontem à noite. Acordei com ‘Rocky Raccoon’ tocando em minha cabeça e um olhar preocupante no semblante da minha esposa. Ela me disse que meu amigo havia acabado de falecer. Lembranças sobre você inundaram a minha cabeça e eu chorei. Ainda estou chorando, de tristeza e de gratidão por ter compartilhado alguns momentos especiais com você e sua linda família. Você me inspirou tantas vezes de várias maneiras que você não consegue imaginar.
Seu talento era puro e incomparável. Sua voz foi alegria e dor, fúria e perdão, amor e coração partido tudo em uma só. Eu acho que todos nós somos assim. Você me ajudou a entender isso. Acabei de assistir a um vídeo de você cantando ‘A Day in the Life’ dos Beatles e lembrei do meu sonho. Quero pensar que era você se despedindo da sua maneira. Não posso pensar em um mundo sem você nele. Rezo para que você encontre paz na próxima vida. Envio meu amor para sua esposa e filhos, amigos e família. Obrigado por me permitir ser parte da sua vida.
Com todo o meu amor,
Seu amigo,
Chester Bennington”

Os dois dividindo palco em “Hunger Strike”

Please follow and like us:

12 thoughts on “Suicídio do vocal do Linkin Park só comprova que precisamos debater muito sobre depressão e outros transtornos

  1. A depressão não necessariamente está relacionada com dinheiro, seja pelo excesso ou falta dele, as motivações são mais profundas. Vivemos tempos de intensa melancolia e descrença no ser humano.

  2. Muito triste a perda de tantos talentos precocemente ( Kurt Cobain, Michael Hutchence , Cornell…) e agora, Bennington.
    O que está errado na humanidade? Por que pessoas que aparentemente tem tudo se sentem tão a vazias a ponto de tirar a própria vida??

    Uma aposta? Deus estä(va) fora da vida de todas elas! Só Ele pode preencher a änsia do ser humano por respostas, dar o conforto para resistir a esse mundo caótico e, depois, a vida eterna.

    Que descansem em paz…

  3. SE NÃO É FALTA DA PRESENÇA DE DEUS É O QUE? A PRESENÇA DE DEUS ENTÃO QUE LEVA A PESSOA AO SUICÍDIO . DEUS É VIDA DA ANIMO PARA A PESSOA VIVER E NÃO TIRAR A VIDA.

  4. Precisamos debater sobre saúde mental sim,muito mais do que debatemos, para que muitas ações sejam realizadas, mas não vamos ser hipocritas aqui. Sabemos que, infelizmente, esses caras usan muita maconha, cocaína, heroína etc. E esse grande coquetel gera alucinações que levam qualquer um ao suicídio, sem falar na pancada de medicamentos (muitos permitos somente em UTIs)que eles ingerem, então, o debate sobre drogas, inclusive das lícitas deve ser posto cada vez mais em foco. Sabemos que lá no fundo,são as drogas que causam isso tudo.

  5. Tive depressão de luto, nada agradável. Ouvir o “a vida continua” dói mais ainda… Tem gnt que não tem noção de certas dores. Realmente não pode ser ignorado nenhum tipo de depressão, ansiedade ou transtorno. Procure ajuda! Perplexa até agora com esse rapaz…

  6. Como sempre o suicídio vem de forma inesperada. Sem avisos, sem apontar culpados, sem cartas, sem musiquinha de trilha sonora. Mais um grande talento que nos deixa.

  7. Sim. Com certeza precisamos de uma política pública mais atuante e de ações que mobilizem todos os órgãos responsáveis pela saúde e também de campanhas que conscientizem a sociedade que qualquer pessoa pode vir a desenvolver algum tipo de transtorno em determinado momento da vida. Ninguém está livre disso e que o problema é de todos porque as constantes não acontecem só na casa ou na vida do meu vizinho, vez ou outra também atinge um familiar nosso, um amigo, um vizinho e etc.

  8. Luiz, é muito bom que a imprensa não fique mais presa à censura preconceituosa de temas delicados. Mas ainda mais atentos ao fenômeno de comportamentos induzidos por exemplos (de figuras públicas, artistas, etc), acho que seria extremamente útil divulgar a estimativa de mais de 90% dos casos de suicídio relacionados a transtornos mentais (e portanto evitáveis, dignos de atenção, tratamento livre de estigma) bem como os serviços do CVV disponíveis 24 horas por dia pra quem busca apoio emocional (cvv.org.br, disque 141).
    Se você que leu isso se identifica com ideias suicídas, saiba que as pessoas se importam e há ajuda possível. Busque ajuda agora! Você merece.

  9. Devemos sim nao so debater como esta atentos a pessoas que estao proximos a nos e reconhecer os sintomas e pedido de socorro seja ele de que forma for .
    Devemos isso, seja filha(o) ,amiga (o)pai, mae ,vizinho seja quem for .
    Precisamos ter mais campanhas pois o preconceito e muito grande e o faz com que muitos tenham aversao ao tratamento ou seja quando admirem que e uma doença.
    Tenho uma filha que era portadora de deficit de atençao e entrou em comorbidade com transtorno bipolar apos a minha separaçao,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *