Uncategorized

Preciso beber 8 copos de água? Dieta intermitente funciona? Área verde faz bem à saúde. E mais na Newsletter do THI

INTRO
Você notará muitas vezes – a mesma bolha de “sabedoria” de saúde borbulha novamente, exceto … de onde veio essa “sabedoria”, para começar? As coisas que ouvimos constantemente, que são tidas como ditados de saúde antigos, que tomamos por certo – bem, quando foi a última vez que desafiamos nossas suposições?
Há uma diferença entre conhecer as verdades universais de saúde e segui-las, porque elas foram testadas e comprovadas como verdadeiras, não apenas pela literatura científica, mas comprovadas por meio de observações de populações.
Mas de vez em quando é bom verificar os conselhos de saúde que estamos consumindo, especialmente quando é fácil ficar indiferente ao investigar as fontes. É por isso que nesta edição do boletim da True Health Initiative, não examinaremos apenas alguns estudos que provocaram rumores nos noticiários, mas também um tópico que parece surgir todos os verões e que não causa escassez de confusão entre o público leigo.

ESTUDOS
CLIMA
O estudo

Um estudo publicado na revista “Environmental Research” mostra como é bom passar tempo ao ar livre para a saúde. O estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de East Anglia, observou dados examinados de 140 estudos, que incluíram 20 pesquisas e 290 milhões de pessoas, para encontrar uma ligação entre exposição a espaços verdes e diminuição do risco de condições incluindo pressão alta, diabetes tipo 2. , doença cardiovascular e morte prematura.
“Além disso, os efeitos protetores da saúde da exposição do espaço verde pareciam ser mais pronunciados entre pessoas que vivem em áreas de baixa renda ou carentes”, explica Behrooz Behbod, MB, CHB, MSC, SCD, MFPH, fundador da Oxford Public Health. “Essas descobertas sugerem dois pontos: primeiro, os médicos podem utilizar ‘receitas verdes’ para ajudar seus pacientes a administrar condições como hipertensão e diabetes, e prevenir acidentes vasculares cerebrais e doenças cardíacas; em segundo lugar, os formuladores de políticas e planejadores urbanos podem ajudar a melhorar a saúde da população, reduzir as desigualdades na saúde e reduzir os custos com saúde, criando, mantendo e melhorando espaços verdes em suas comunidades, particularmente em áreas carentes.”

A cobertura da mídia
A cobertura da mídia do estudo incluiu “Morar perto de parques ou outros espaços verdes está ligado a amplos benefícios para a saúde” (MinnPost), “Exposição à natureza é associada a uma ampla gama de benefícios para a saúde” (PsychCentral) e “Gastar tempo fora pode aumentar sua saúde” (Times of India).
“A partir dos artigos que li, a mídia cobriu os resultados desta pesquisa de forma equilibrada e informativa”, observa Behbod. “Alguns salientaram que, embora não haja nenhum dano na implementação das recomendações, devemos também ser cautelosos ao afirmar que este estudo não pode provar causa e efeito. Algumas das descobertas podem ser explicadas por outros fatores, como status socioeconômico.”

O Resumo
“A mensagem óbvia é passar o máximo de tempo possível ao ar livre, em espaços verdes, como parques e no campo”, diz Behobod. “Você também pode considerar unir forças com outras pessoas em sua comunidade para pedir às autoridades locais que criem e melhorem parques, árvores de rua e outros espaços verdes.”
Segundo a Organização Mundial de Saúde, os espaços verdes também são positivos na redução da obesidade, “incentivando uma dieta saudável e aumentando a atividade física, além de melhorar o bem-estar social”, acrescenta. “Por exemplo, um estudo norte-americano descobriu que um programa comunitário de jardinagem e educação nutricional de sete semanas reduziu o excesso de peso e a obesidade em crianças.”

DIETA
O estudo

Um novo estudo na revista “Nutrition and Healthy Aging” analisou a eficácia de uma das dietas mais populares de jejum intermitente. Especificamente, o estudo examinou os efeitos de uma dieta com restrição no tempo conhecida como “dieta 16: 8” na perda de peso e pressão arterial.
Para o estudo, os pesquisadores examinaram 23 pessoas com idade média de 45 anos e IMC médio (índice de massa corporal) de 35 (indicando que são obesos).
Para o estudo, os participantes foram autorizados a comer o que quisessem e o quanto quisessem, entre as 10:00 e as 18:00 horas. (O nome da “dieta” é 16: 8 porque envolve 16 horas de jejum e 8 horas de banquete). A orientação era beber água ou outras bebidas sem calorias. Pesquisadores rastrearam os participantes do estudo por 12 semanas. No final do período de estudo, e quando comparados a um grupo histórico de outro estudo, os pesquisadores descobriram que os participantes do estudo consumiam menos calorias (350 calorias a menos em média), diminuíram o peso corporal (perderam 3% do peso corporal em média), e tiveram menor pressão arterial (uma diminuição média da pressão arterial sistólica de 7 mm Hg).
“Indivíduos obesos que restringiram comer a apenas oito horas por dia, consumiram menos calorias, perderam mais peso e melhoraram a pressão arterial sistólica em comparação com indivíduos controle que não limitaram a comer a uma janela de oito horas”, dizem os membros do conselho e dietistas Tammy Lakatos Shames, RDN, CDN, CFT e Lyssie Lakatos, RDN, CDN, CFT. “Limitar as horas de comer todos os dias pode ser uma boa maneira de ajudar as pessoas a ingerir menos calorias e a perder peso sem ter que se concentrar em comer menos ou contar calorias.”

A cobertura da mídia
A cobertura da mídia para o estudo incluiu manchetes como “O jejum diário ajuda na perda de peso? Sobre a dieta 16: 8” (Atlanta Journal Constitution), “16: 8 Dieta, uma forma de jejum intermitente, pode ajudar a perder peso, sugere estudo” (Everyday Health), e “16: 8 dieta de jejum realmente funciona” (Medical News Today).
“A cobertura da mídia do estudo, baseada nesses três artigos, foi precisa, observando o resultado do estudo, bem como algumas armadilhas”, observou Tammy Lakatos Shames e Lyssie Lakatos.

O Resumo
“O jejum intermitente pode fornecer outra opção para conseguir a perda de peso que não requer contagem de calorias ou eliminação de certos alimentos”, dizem Tammy Lakatos Shames e Lyssie Lakatos. “Recomendamos tentar o jejum intermitente como um método de perda de peso para alguém que come uma dieta rica em nutrientes e que entende que não é uma solução rápida nem uma dieta de moda passageira e que considera uma opção realista que pode funcionar em seu estilo de vida. Como acontece com qualquer plano de emagrecimento saudável, o objetivo deve ser concentrar-se em ingerir muitos vegetais, proteínas magras (como peixe, ovos, feijão etc.), frutas, gorduras boas (como nozes, sementes e abacates) e algumas fibras – carboidratos saudáveis (como grãos integrais e batata doce). Para se manter hidratado, beber bastante líquido é importante e a água deve ser consumida fora da janela de 8 horas. Tal como acontece com todos os planos de dieta, recomendamos consultar o seu médico ou profissional de saúde tentando jejum intermitente.

ÁGUA
O conceito de “ficar hidratado”, especialmente para a saúde, parece uma coisa tão simples. No entanto, existem velhos ditados que surgem várias vezes, até o ponto em que é útil dar um passo para trás e realmente examinar de onde vem esse conselho de saúde.
É por isso que recorremos aos membros do conselho da THI Joy Bauer, MS, RDN, especialista em nutrição e saúde do programa Today da NBC, e Ellie Krieger, MS, RDN, apresentadora do programa Healthy Network, para romper alguns dos problemas mais comuns. mitos sobre água potável e desidratação, especialmente durante o verão.

1. Você realmente precisa beber 8 copos de água por dia?
“A recomendação de 8 copos por dia de alguma forma pegou, mas parece ter sido tirada do nada. Na realidade, a quantidade de água que você precisa diariamente depende de muitas variáveis, incluindo o clima em que vive e o quão ativo você é ”, explica Krieger. “As Dietary Reference Intakes da Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina da Divisão de Saúde e Medicina identificam 13 copos de bebidas totais para homens e 9 copos para mulheres como a ingestão média adequada para hidratação adequada em climas temperados – ênfase no total de bebidas. Esse número presume que você está obtendo cerca de 20% de seu fluido de alimentos, e isso significa que qualquer coisa que você bebe conta para a hidratação, incluindo leite, suco, refrigerantes e até mesmo café e chá. Esses números são baseados no consumo médio de pessoas bem hidratadas, então você pode precisar de mais ou menos.” Então, quanto você deve beber por dia? Bauer geralmente recomenda “dividir seu peso pela metade – ou seja, quanto de líquidos você precisa em um dia. Se você é um exercitador ávido, passa longos períodos fora do calor ou vive em um clima particularmente seco, pode precisar de mais.”
“Há muitas boas razões para beber água. Seu corpo precisa ser adequadamente hidratado para funcionar adequadamente, e isso inclui metabolismo e digestão”, acrescenta Bauer. “A água muitas vezes desloca mais bebidas calóricas (como refrigerante, chá gelado e bebidas energéticas) na dieta. Também ajuda a prevenir a desidratação e pode ajudá-lo a evitar sentimentos confusos de sede com sentimentos de fome.”

2. Beber muita água realmente elimina toxinas?
“Seu corpo depende da água para dissolver e eliminar o desperdício (que alguns podem chamar de ‘toxinas’), como acontece com a urina, por exemplo, mas se você estiver adequadamente hidratado, beber mais água não elimina mais resíduos / toxinas”, diz Krieger.

3. Sentir sede significa sempre estar desidratado?
“A sede crônica pode ser um sintoma de uma condição médica, como diabetes, por exemplo, por isso, se você se sentir constantemente ressequido, deve consultar seu médico”, diz Krieger. “Na maioria dos adultos saudáveis, a sede é um indicador confiável das necessidades de líquidos – e uma crítica, já que o quanto você precisa beber pode variar muito, dependendo de quão ativo você é e do quão quente está lá fora. A menos que você esteja fazendo exercícios prolongados no calor ou seu mecanismo de sede esteja comprometido (como pode ser em pessoas idosas ou com problemas de saúde), você não precisa pressionar agressivamente os fluidos para ficar à frente da sede. Apenas preste atenção em como você se sente e beba bastante sempre que estiver com sede, e provavelmente ficará bem hidratado.”

4. Você sempre tem que “beber água” para obter sua hidratação? Ou pode comer certos “alimentos hidratantes” no lugar disso?
“Beber H20 é certamente a maneira mais fácil de se hidratar, mas não é o único jeito”, diz Bauer. “Outros líquidos (café, chá, suco de frutas, por exemplo) contam. Além disso, muitos alimentos, especialmente frutas e verduras, podem ser embalados com líquidos. Na verdade, produzir palitos de alimentos pode ter mais de 75% de água (em peso), então eles também são uma ótima fonte de H2O. Tente melancia, morangos, grapefruit, melão, abacaxi; pepinos; aipo; Berinjela; tomates; espinafre e muito mais.

5. Como bebidas como café, refrigerante, água com gás, álcool e bebidas esportivas e suco se acumulam para nos hidratar?
“Todos os itens acima são considerados bebidas hidratantes, exceto álcool (sim, mesmo que o café e o chá tenham cafeína, que é um diurético, eles têm um efeito hidratante líquido)”, diz Krieger. “As bebidas esportivas podem oferecer alguma vantagem para os atletas de performance, mas não são melhores do que a água para atividades do dia-a-dia ou exercícios com duração inferior a uma hora”.

6. Qual é o seu conselho geral para beber água durante o verão e outras partes do ano?
“Beba pelo menos metade do seu peso em onças (para fazer o cálculo em mililitros, multiplique por 30 a metade do seu peso). Certifique-se de beber água regularmente ao sol de verão, especialmente antes de sair para a praia ou piscina. E leve uma garrafa reutilizável para quando chegar ao seu destino”, aconselha Bauer. “Às vezes, congelo uma garrafa na noite anterior para usá-la como uma bolsa de gelo e, em seguida, bebo a água gelada que derrete durante o dia.” Quanto a Krieger, “fique em sintonia com as sugestões e bebidas do seu corpo quando sentir sede. Procure água primeiro, mas se você quiser mais sabor, experimente infundir água com hortelã fresca, frutas cítricas ou outras frutas inteiras, ou adicione um pouco de suco. Esteja ciente dos açúcares e calorias concentrados em bebidas e sucos com sabor e beba-os apenas de vez em quando.”

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *